Mahler um estranho para o mundo   1 comment

Muitas besteiras foram ditas sobre Gustav Mahler, então me deixe juntar a este seleto grupo com as minhas observações, que farei a partir de um lied considerado fundamental na biografia deste compositor que é Ich bin der Welt abhanden gekommen na recente tradução inédita de Ivo Barroso dedicado a minha pessoa.

Gustav Mahler é considerado compositor de fácil acesso por alguns por ser melódico, mas, nem toda melodia é popular e acessível, basta pensarmos na passagem melodica de Tristão e Isolda de Richard Wagner admirada por mim.

Toda obra musical de Gustav Mahler resume-se a 10 sinfonias e uma sinfonia inacabada, pois Canção da Terra (Das lied Von der Erde) é na verdade sinfonia cantada inspirada pelos poemas dos poetas chineses, além de uma abertura para uma ópera, peças sem importância da juventude, e os famosos lieds como os proféticos e fatídicos Lieds das Crianças Mortas na vida do compositor.

Se a melodia da obra de Gustav Mahler é acessível aos ouvidos assim aos ouvidos não educados em música erudita, eu recomendo que o eventual leitor destas considerações comece pela sinfonia de no 7ou sinfonia no 2 (auferstehung) onde há um pequeno e maravilhoso lied Urlich, reaproveitado nesta sinfonia da obra Menino e o Corneteiro consagrada aos primeiros lieds.

Na verdade a única sinfonia acessível de Gustav Mahler é sua primeira sinfonia, por ser a mais curta, e exigir menos dos ouvidos preguiçosos, e, por conter citações folclóricas além de possuir a irônica e deliciosa passagem do Cortejo da Morte do Caçador, onde os animais passam em cortejo em homenagem à pessoa morta do seu principal algoz.

Gustav Mahler é um judeu converteu-se ao catolicismo, mas a alma não, continuou errante como os Alpes que este admirava em busca de uma terra prometida, de uma transcendência para sua forte personalidade, pois, em vida foi mais famoso como maestro que poderia fazer um ensaio de oito horas seguidas para procurar um tom que estava somente em sua cabeça.

Mágica e melódica é sua Sinfonia n0 4, mas exige, um pouco mais do ouvinte encerra-se com a bela e edificante Sehr behaglich onde a voz da soprano fazendo-nos pensar ao chegamos ao céu como nos sugere o lied ou como a terceira Sinfonia onde há o famoso poema de Friedrich Nietzsch encerrando-a, e inserindo-se historicamente nas questões da Viena dos primórdios do século XX.

Gustav Mahler é o músico sintetiza a dor e da solidão talvez porque tenha tido uma trágica vida com a morte dos filhos, após compor fatídicos Lieds das Crianças Mortas ou porque alguns o consideravam com problemas de sexualidade não administrada, o lied Ich bin der Welt abhanden gekommen seja uma peça para compreensão da obra deste compositor deixou-nos sua décima primeira sinfonia inacabada, como se disse-se nos ser um poeta que abriu as portas para as outras gerações, com o silêncio das partes não terminadas.

O lied Ich bin der Welt abhanden gekommen possui a duração de exatamente de sete minutos sendo para ser executado com orquestra, mas nele há elementos compreender-se as sinfonias seja pela exposição e reexposição dos temas melódicos, segundo George Steiner, para Wittgenstein, Mahler era um compositor brilhante, porém absolutamente falso e meramente técnico, elegendo o maçante Bruckner (para meu gosto) como a verdade transcendental.

No lied Ich bin der Welt abhanden podemos sobrepor os outros lieds, e, estão ali sintetizadas as questões filosóficas e pessoais deste compositor perpetuam-se a personalidade desta estranha visão da vida e da morte misturadas em sofisticados termos musicais, quiçá, filosóficos, pois, não custa lembrar desta música segue um “programa” para as argumentações abstratas das sinfonias lembrando-nos a pequenez do homem diante da vida e da natureza diante do iniludível e da crença em outra vida.

Recebi emocionado a tradução deste lied capital das mãos de Ivo Barroso o nosso tradutor de Lobo da Estepe de Herman Hesse dedicado à minha pessoa, percebendo à minha identificação com este lied escrito pelo poeta alemão De Friedrich Rückert:, colaborador de Gustav Mahler,e, do qual reproduzo com a autorização deste:

Dedicado a Eric Ponty

Eu me tornei estranho para o mundo
com o qual perdi outrora tanto tempo;
faz muito que não ouve a meu respeito
que pode mesmo achar que já morri.

Para mim é de todo indiferente
que ele me trate como fosse morto.
Nada posso dizer contrário a isso
pois de fato morri para este mundo.

Estou bem morto para o seu tumulto
e descanso num lugar de quietude.
Sozinho vivo no meu paraíso,
no meu amor, nas notas do meu canto.
Tr. de Ivo Barroso

Friedrich Rückert: – Ich bin der Welt abhanden gekommen

Ich bin der Welt abhanden gekommen,
Mit der ich sonst viele Zeit verdorben,
Sie hat so lange nichts von mir vernommen,
Sie mag wohl glaubern ich sei gestorben!

Es ist mir auch gar nichts daran gelegen,
Ob sie mich für gestorben hält.
Ich kann auch gar nichts sagen dagegen,
Denn wirklich bin ich gestorben der Welt.

Ich bin gestorben dem Weltgetümmel
Und ruh’ in einem stillen Gebiet!
Ich leb’ allein in meinem Himmel,
In meinem Lieben, in meinem Lied

Anúncios

Publicado janeiro 24, 2008 por drcravinhos em Uncategorized

Uma resposta para “Mahler um estranho para o mundo

Assinar os comentários com RSS.

  1. Parabéns pelas suas considerações acerca de Mahler e pelo conteúdo de suas publicações. Tomei a liberdade de utilizar (mencionando a fonte) a tradução de “Ich bin der Welt abhanden gekommen”, indicando um link para a sua página.
    Parabéns, novamente, e muito obrigado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: